CTRL+X - Quem tira conteúdo da internet?
Busca pelo site
Digite uma palavra
Cursos Oferecidos pela Abraji

RSS - Assine para receber as novidades do site



Abraji
on Google+

12/12/12 - 17h07 -
TJ mantém condenação de comerciante e PMs por morte de jornalista


Publicado em 12 de dezembro de 2012, em Folha de S.Paulo.

 

COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, DE RIBEIRÃO PRETO

 

A 2ª Câmara de Direito do TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo manteve a condenação do comerciante e dos três policiais militares acusados de assassinarem o jornalista Luiz Carlos Barbon Filho, morto em Porto Ferreira (228 km de São Paulo) em maio de 2007.

O comerciante Carlos Alberto da Costa, que apresentou o recurso, e os PMs Paulo César Ronceiro, Edson Luís Ronceiro e Adélcio Carlos Avelino tiveram o pedido negado por unanimidade.

Luiz Carlos Barbon Filho morreu aos 37 anos após ser atingido por dois tiros de espingarda na noite de 5 de maio de 2007, em um bar no bairro Jardim Primavera, em Porto Ferreira.

À época, a mulher do jornalista, Kátia Barbon, afirmou que o marido havia sido ameaçado por meio de cartas e telefonemas.

Barbon escrevia artigos para o "Jornal do Porto" e foi o primeiro a denunciar, em 2003, o caso de vereadores acusados de explorar sexualmente adolescentes na cidade.

Naquele ano, foi finalista do prêmio Esso de Jornalismo, categoria Especial Interior, com a reportagem "Corrupção de menores", publicada no "Jornal Realidade", de Porto Ferreira.

O advogado de Costa, Arlindo Basílio, disse nesta quarta-feira (12) que vai recorrer da decisão.

"Assim que houver a intimação da decisão, apresentaremos um recurso especial e um recurso extraordinário. Existe uma evidente fraude processual nesse processo. Houve troca de provas", afirmou.

Já o advogado Eugênio Malavasi, que defende Avelino, afirmou que também entrará com recurso especial.

Celso Vendramini, advogado de Paulo e Edson Ronceiro --são irmãos--, disse que deve entrar com um pedido de revisão criminal do caso.

"Existem provas novas e o promotor, em outro julgamento, pediu a absolvição de um dos acusados [Valnei Bertoni], que seria inclusive o autor dos disparos contra o Barbon. Se houve a absolvição do autor do crime, os outros não podem ser condenados", afirmou.


Busca pelo site
E-mail / Usuário

Senha
 
 
   
 

 
 



 



 
 
 






 

INSTITUCIONAL
O que é
Estatuto Social
Diretoria
Comunicados
Parceiros
Privacidade
Copyright
Expediente
SERVIÇOS
Fale conosco
Banco de Currículos
Lista de Discussão
Eventos
NOTÍCIAS
Acesso à informação
RAC
Projeto com estudantes
Noticias da Abraji
Liberdade de expressão
FILIE-SE
Quem pode se filiar?
Quais os benefícios que o sócio da Abraji tem?
Quanto custa?
Como se associar?
 
ABRAJI - Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo - [email protected] - (11) 3159-0344 - São Paulo SP